31 de maio de 2011

Problemas técnicos

Caros leitores, o Blogger aparenta estar com problemas técnicos que estão a impedir, em alguns casos que se coloquem posts e comentários, podendo mesmo estar a apagar alguns comentários que possam ter sido colocados. Podem enviar para farpaspombalinas@gmail.com as anomalias que tenham detectado.

Aguardamos que a página esteja totalmente operacional o mais brevemente possível.

Até lá, sempre que quiserem colocar um comentário, escrevam-no e escolham o perfil com o qual querem comentar.

Se o blog reencaminhar para a página inicial do blogger (onde diz "quer criar um blog?"), no lado direito da mesma, coloquem o vosso username e a password que depois regressam à página dos comentários para colocar o comentário.

Por algum motivo, o blogger não está a assumir a password dos utilizadores e obriga-os a repetir.

30 de maio de 2011

Até sempre, comissário

A notícia da morte de António Santos caiu-me no ecrã do computador pela mão da Rádio Cardal, ontem à noite.

Era mais novo do que eu julgava. Tinha apenas 54 anos. Talvez por ter sido o responsável "das polícias" com quem lidei mais tempo (a par do coronel Narciso Santos, da GNR, já aposentado) e por toda a vida me ter parecido um homem maduro.

Fica a memória de um profissional da Polícia que soube exercer a (sua) autoridade sem nunca se vergar a poderes alheios, numa terra em que é preciso ter coragem para o fazer.

25 de maio de 2011

E na vereação, vai faltando animação!

É impressão minha, ou nem todos os vereadores têm aparecido publicamente? Terá algum sido demitido? Andei a ver no site da CMP, e não encontreio nada...

Uma Campanha Alegre

É um lugar-comum relembrar o terceiro parágrafo de "O primitivo prólogo das Farpas", escrito por Eça de Queirós em Junho de 1871:


“O País perdeu a inteligência e a consciência moral. Os costumes estão dissolvidos e os caracteres corrompidos. A prática da vida tem por única direcção a conveniência. Não há princípio que não seja desmentido, nem instituição que não seja escarnecida. Ninguém se respeita. Não existe nenhuma solidariedade entre os cidadãos. Já se não crê na honestidade dos homens públicos. A classe média abate-se progressivamente na imbecilidade e na inércia. O povo está na miséria. Os serviços públicos vão abandonados a uma rotina dormente. O desprezo pelas ideias aumenta em cada dia. Vivemos todos ao acaso. Perfeita, absoluta indiferença de cima a baixo! Todo o viver espiritual, intelectual, parado. O tédio invadiu as almas. A mocidade arrasta-se, envelhecida, das mesas das secretarias para as mesas dos cafés. A ruína económica cresce, cresce, cresce... O comércio definha, A indústria enfraquece. O salário diminui. A renda diminui. O Estado é considerado na sua acção fiscal como um ladrão e tratado como um inimigo.”


Alguns dirão que estas palavras são tão sábias e justas hoje como o foram há 140 anos. O problema, digo eu, é aceitá-las como uma fatalidade. Eça, que no mesmo texto também diz “em Portugal o cidadão desapareceu”, usou-as como um incentivo à participação cívica. Eu humildemente o secundo, apelando ao exercício da cidadania no próximo dia 5 de Junho.

20 de maio de 2011

Antes isso do que comer muito queijo



Tenho imensa pena de não poder assistir à edição deste ano da Feira do Queijo do Rabaçal. Como todos sabemos, Narciso Mota é apoiante de Passos Coelho desde pequenino. E domingo vai ter a honra de lhe oferecer uma festa, em Pombal, que candidato laranja que se preze começa a campanha a jogar em casa.



Certamente que meio Portugal assistiu à promoção do evento que o nosso engenheiro foi fazer ao programa da RTP, no sábado de manhã. Para quem não teve essa felicidade, aqui fica o registo.



Tenho pena, sim. Mas não posso virar as costas aos grandiosos festejos em honra de S.Jorge, nos Antões. Além disso, agora temos um infiltrado na dita Confraria do Queijo do Rabaçal. É o confrade Gabriel Oliveira, que combinou de nos trazer quilos de queijo a cada um d'os da casa.

18 de maio de 2011

Onde está o Wally?


No passado domingo decorreu, em Alvaiázere, o X Capítulo da Confraria do Queijo Rabaçal, onde foram entronizados vários confrades, alguns bem conhecidos destas paragens. Presumo que, no próximo Domingo, esta e outras confrarias congéneres irão ter um lugar de destaque na Expo Sicó 2011.


Portuga que se preze tem que ser confrade e ter perfil no facebook. Num país onde há quase mais confrarias que população, há cada vez mais dificuldade em descobrir espaço para novas propostas. Nas gastronómicas, por exemplo, só falta mesmo a Confraria do Prato do Dia.


Não gosto de confrarias. Não sei se é por causa do folclore dos desfiles, se pelo mau gosto das fardas, se pelo ar solene dos confrades, se pelas bandeiras, se pelo facto de terem evoluído de associações religiosas. O que é certo é a “confrarite” nacional me causa alguma comichão.


Apesar das más línguas me garantirem que a confraria é mais um pretexto para os confrades saírem de casa, eu reconheço que muitas delas fazem um trabalho meritório (quem sou eu para julgar as confrarias). Mas agora esclareçam-me: é impressão minha ou o Bodo tem vindo a piorar desde que alguém lhe inventou uma confraria?

14 de maio de 2011

Candidatos

Não sei se estão aqui todos os candidatos do concelho, mas foi o resultado de uma busca exaustiva.
Bloco de Esquerda - Mário Martins (4º suplente)
CDU - Adérito Araújo (3º suplente)
PS - João André Coelho (9º lugar)
CDS - Jorge Carvalho (7º lugar)
PSD - Pedro Pimpão (6º lugar)

O MEP e o PCTP/MRPP têm lista e nomes, por Leiria, mas não reconheci nenhum como sendo de Pombal. Perdoem-me os que forem e eu não tenha reconhecido.
POUS, PPV, MPT, PNR, PPM, PTP e PAN não disponibilizaram a lista de candidatos por Leiria, no seu site. No dia das eleições se saberá!
Já agora, e para quem desconhece alguns partidos que são novidade nos boletins de voto, apresento-vos, PPV quer dizer "Portugal Pro Vida". É uma coisa muito religiosa e anti-aborto. Quanto ao PAN, designa o "Partido pelos Animais e pela Natureza".

Sem princípios activos!




José Manuel Silva, pombalense (creio que ele não se incomodará de assim ser rotulado) e bastonário da ordem dos médicos, já aqui e aqui foi referido em termos elogiosos. Contudo, e porque o Farpas não faz apenas posts "fofinhos" em que se diz bem das pessoas (há até quem por aí afirme que esta "corja" só serve para dizer mal e deitar abaixo), hoje a citação é para fazer um reparo e mostrar desagrado em relação a várias posições da ordem a que o nosso José Manuel Silva preside.

A questão começa com os médicos colombianos, que a FMUP diz serem gente capaz e com conhecimentos válidos na matéria, mas que alguns médicos portuguesíssimos (à sombra da sua ordem) diz que estavam bem era a podar vinhas. Porque não sabem fazer uma citologia, e não são "especialistas em saúde familiar", e não sei que mais. Parece que só mostram qualidades para marcar golos, como o Falcão. Aliás, os outros que aí estão para chegar, vindos da Costa Rica, parece que sofrem dos mesmos males.

De igual forma, parece que a solução para os males da saúde em Portugal, segundo os mesmos, terá de passar sempre por dar prioridade aos médicos portugueses.

Ora, tudo isto faz-me uma enorme confusão. Não vou chegar ao ponto de os chamar xenófobos (apesar de se colocarem a jeito para tal), mas parece-me inegável que a hiper-protecção corporativa tem tido sempre como prejudicados os utentes do SNS. Ou não será verdade que temos em Portugal muitos centros de saúde fechados por falta de médicos? Realidade essa vivida também no nosso concelho, que não será um exemplo extremo de interioridade. Ou recentemente na Alfredo da Costa, na "capital do império". Se a Alfredo da Costa não consegue atrair médicos, que outros e melhores argumentos poderia apresentar uma maternidade ou hospital em Celorico da Beira, Trancoso ou Portalegre?

Prometo voltar muito em breve ao tema da saúde, mas para já, José Manuel Silva... assim não vamos lá! A sua classe há-de gostar de tanto proteccionismo, mas os que (como eu) estão desde Fevereiro de 2010 à espera de uma consulta dita urgente, nos HUC, que só vai acontecer em Julho de 2011, não!

11 de maio de 2011

Conhecimento e inovação

Decorreu em Pombal uma conferência, promovida pela Câmara do Comércio e Indústria do Centro e pela COTEC Portugal, com vista a motivar os empresários pombalenses para a inovação e competitividade à escala europeia. Excelente iniciativa.


Segundo o Notícias do Centro, nessa conferência foram apresentados a rede de serviços Enterprise Europe Network e o projecto Know How (como eu embirro com os nomes em inglês), sendo este último especialmente destinado a que ajudar as empresas das regiões Norte e Centro de a serem mais competitivas ao nível do conhecimento e da inovação.


Não querendo tirar o mérito a quem o tem de facto, questiono apenas o seguinte: porque não incluir em projectos como o Know How as excelentes universidades e politécnicos da região? Afinal de contas, se é de conhecimento e inovação que se trata, não seria bom dialogar com quem é pago pelos contribuintes para fazer isso mesmo?

3 de maio de 2011

Jardins





Estive recentemente numa cidade algarvia à beira mar, onde a pressão imobiliária é incomparavelmente superior à que se verifica em Pombal. Contudo, andei de bicicleta em espaços verdes de grande dimensão, onde outros andavam de skate ou de patins, onde miudos jogavam futebol e velhotes descansavam à sombra de uma àrvore, em curiosos bancos de pedra.

Em Pombal não temos nada disto. E é pena, porque cada vez vai ser mais difícil ter alternativas. Porque as hipotéticas alternativas vão tendo casas, prédios, supermercados... e as vontades politicas parecem minguar tanto quanto os espaços disponíveis.

Sporting Clube de Pombal



O Sporting Clube de Pombal desceu de divisão. Na próxima época, irá disputar o campeonato da 3ª Divisão Nacional.

A noticia em si não é uma farpa. Não sendo um entusiasta do clube, prefiro vê-lo a ganhar que a perder. Contudo, parece-me que as maiores vitórias de um clube desta natureza são o facto de honrar os seus compromissos (com o estado e demais credores) e de fomentar a prática desportiva no concelho em que se insere.

Dito isto, resta-me dizer que não considero esta descida como um drama para a região, e que esta deve ter uma equipa dimensionada ao nível da sua estrutura e que cumpra os objectivos atrás referidos. Se isso acontecer na 3ª Divisão, então tudo estará bem na relação (nem sempre a melhor) entre o clube e o concelho!

Boa publicidade, excelente arroz


É raro encontrar publicidade criativa e de grande qualidade nos jornais locais. Por isso, merece destaque a do Manjar do Marquês. Parabéns aos criativos e à Dª Lurdes pelo excelente arroz de tomate.

2 de maio de 2011

Maio, maduro Maio*

* um post dedicado ao eng. Rodrigues Marques

"Agora não sei o que diga à falta dos nossos administradores de não colocarem um post, mesmo que pequenino, sobre o Dia do Trabalho, que se comemora hoje.
Distraídos não vou utilizar, mas, digo eu, se não se deveria aproveitar o dia para se discutir para onde foram os postos de trabalho de tal forma que se transformou o Dia do Trabalhador em Dia do Trabalho.
Mas sei, também, que os sindicatos só se preocupam com quem tem trabalho, para defender os seus direitos.
Quem não tem trabalho, que tivesse.
"
Disse o engº ontem mesmo, num dos comentários com que nos brindou. Bem, agora que o camarada Adérito lavou a honra deste convento - em que por contas de outro rosário a malta tem andado em regime de clausura - atrevo-me aqui a agradecer-lhe que tenha vindo lançar o debate.
Não sei se é por andar distraído, ou se lhe falhou o teclado e queria acrescentar qualquer coisa sobre os trabalhadores dos supermercados. É verdade que lamentamos todos que o comércio tenha furado o feriado, mais pelo simbolismo que por outra coisa qualquer. É que, para sermos rigorosos, desde sempre que há gente a trabalhar no Dia do Trabalhador. Lembro-lhe aqui os jornalistas, os gráficos, os operários de tantas áreas da indústria, por exemplo.
Custa-me, isso sim, que os trabalhadores vivam neste retrocesso de direitos. Que tenham cada vez mais medo de os reclamar, ou que - pior - os arrumem como parte do passado, do tempo em que os recibos verdes e a pecariedade eram a excepção em vez da regra.
Mas ainda assim, parece-me que em Pombal há malta a viver num cantinho do céu, não lhe parece? Quantos municípios poderão orgulhar-se de ter um presidente que faz mais pelos que lhe são queridos, próximos ou fiéis do que qualquer sindicato? Hum? É com ele, se calhar, que esses organismos devem aprender. Porque isto de serem fortes com os fracos e fracos com os fortes...tem de acabar.

1 de maio de 2011

1º de Maio

Dia do Trabalhador. Dia da Mãe. Um boa ocasião para visitar a Feira do Livro, que decorre até 8 de Maio no Largo da Biblioteca Municipal de Pombal.