30 de julho de 2009

Zangam-se as comadres

Sabem-se as verdades. É assim em todo o lado: na política, nos negócios, na sociedade, nas famílias, etc.
Só não percebo como é que algumas classes profissionais são tão aguerridas contra o Estado e, ao mesmo tempo, tão submissas com os patrões. Depois admiram-se…

O autocarro da propaganda

Recebi ontem, pela primeira vez, um convite formal para participar na “Visita às Freguesias”, neste caso à de Pombal.
Não gostaria de terminar o meu mandato na AM sem confirmar, no terreno, a inutilidade, para os munícipes, de tais eventos propagandísticos.
Se tiver tempo lá estarei e darei, aqui, conta do sucedido.

27 de julho de 2009

Um Bodo de nervos (história de uma fotografia)



O que terá irritado o presidente, sexta-feira à noite, no estádio municipal?

1 - Chegar ao recinto e perceber que estava pouca gente (apesar de belíssimo espectáculo dos Sons da Fala)

2 - Deparar-se com tanto esquerdista junto, a começar pelo palco e a acabar no recinto.

3 - Ter sido fotografado por esta vossa amiga, quando, na companhia do discípulo Fernando Parreira, mais do tal que diz que é da Juventude - pôs mãos à obra para empilhar as cadeiras que:

a) nunca lá deveriam ter sido colocadas, como bem constataram Sérgio Godinho e Vitorino.

b) estavam ocupadas inicialmente por 28 pessoas das cerca de 300 que por ali assistiam ao concerto.

O pior é que a foto saiu mal, como já tive oportunidade de explicar às muitas pessoas que me vieram perguntar o que se tinha passado, pois que (esta parte é para os senhores assessores, adjuntos, delfins e demais que fazem o favor de imprimir estes escritos e levar ao senhor...sublinharem a sombreado) só se vêem cadeiras - como podem constatar. Pelo que não havia necessidade de sua exª ter interpelado um rapaz sério que é casado comigo, com observações a (des)propósito. Aqui para nós, é melhor deixarmos as famílias de fora disto ;)

26 de julho de 2009

Por que desfalece Pombal?

Não é por causa da crise internacional, já que esta afecta todos os concelhos e é recente.
Não é, concerteza, por causa do governo, já que vários concelhos do distrito (Nazaré, Caldas da Rainha, Óbidos, Alcobaça, etc.) têm boa performance (vide estudo da UBI).
Por que será então?

Imperfeições

Um cego é um cego, mesmo que tenha dois olhos. Um ignorante é um ignorante, mesmo que tenha dois neurónios. Um fanático é um fanático, mesmo que cogite.
Infelizmente é assim na política, tal como na religião e no futebol.

24 de julho de 2009

A Crua Verdade

A verdade, em Pombal, não é aquela que os cartazes propagandeiam. É outra e muito menos colorida do que os cartazes.
Um Estudo do Observatório para o Desenvolvimento Económico da Universidade da Beira Interior sobre a Qualidade de Vida** nos diferentes concelhos, diz-nos que Pombal continua a desfalecer e perde 27 lugares relativamente a 2007. No distrito de Leiria só temos atrás de nós Pedrógão Grande, Figueiró dos Vinhos e Alvaiázere. Até Ansião e Castanheira de Pêra, concelhos de interior do distrito estão á nossa frente.
Os estudos e os números não enganam e desmascaram dezasseis anos de Narcisismo.
Que mais nos irá acontecer?
** O estudo entra com mais de uma centena de indicadores das variáveis seguintes: equipamentos de comunicação, equipamentos culturais, equipamentos de saúde, equipamentos educativos, infra-estruturas básicas, cultura e lazer, educação, população, saúde, segurança, ambiente, dinamismo económico, mercado de habitação, mercado de trabalho, rendimento e consumo.

Odete Alves


É daquelas pessoas que cativa pela simplicidade. Formou-se e começou a trabalhar por conta própria numa das actividades mais concorrenciais – a advogacia. Entrou na Política, a sério, quando numas eleições autárquicas a convidaram a integrar as listas. E por lá, por cá, foi ficando. No partido foi fazendo o trabalho que aqueles que buscam o protagonismo não querem fazer, anos a fio, na sombra, com dedicação e profissionalismo, sem atropelar ninguém, dando sem cobrar.
Só por isto (que não é nada pouco), mas também por comparação com os seus concorrentes locais, a Odete merece o meu voto. E a continuar assim merece todo o sucesso, na vida e na política
.

Interlúdio desportivo


Amanhã, Sábado, dia 25, às 18 horas no Teatro-Cine. Novo projecto e novos rostos. Pombal também passa por se reinventar e por regenerar em termos associativos.

Toda a verdade

Há verdades e verdades, pelos vistos.

Numa volta pelo Cardal e pelo Bodo que voltou a ser nosso foi-se-me o post que contava escrever hoje: ía dizermos que estava sensibilizada com o que julgava ser o exemplo maior de contenção, quando reparei num cartaz do presidente Narciso. Está ele de gravata verde-esperança e um slogan que diz "Pombal de verdade". E eu que até estava convencida de que o homem iria dar o exemplo e não gastar dinheiro em cartazes, pois que não precisa, como é sabido. Ledo engano.

Mais à frente, chegando ao Jardim, outra "verdade": um stand do Correio de Pombal diz que o jornal tem "18 anos de verdade". Que bom. Por estes dias chegam-nos notícias de agressões e processos disciplinares. Estaremos perante a verdade da mentira?

E nisto, há papas e bolos por toda a parte. E farturas e imperiais e música. E as noites são de liberdade até nas ruas, no piso feito de alcatrão a estrear. É madrugada e ainda por ali andam pais e filhos, num clima de festa. E de repente uns faróis. Um carro irrompe pelo viaduto. É um BM preto que faz arredar transeuntes e carrinhos de bébé. Desculpa-se tudo. Até a quem devia dar o exemplo. É Bodo senhores!

23 de julho de 2009

As minhas escolhas

Estamos no ano de todas as eleições, logo de muitas escolhas. Cada um fará as suas em função dos seus critérios. Muitos decidirão, até, não escolher nada, nem ninguém. É assim a Democracia, ainda bem.
Participarei nas escolhas todas, porque gosto de escolher tudo: a comida que como, o vinho que bebo, a mulher com quem durmo, os amigos com quem convivo e discuto, o local de trabalho, etc; e, como não poderia deixar de ser, os políticos por quem gostaria de ser governado.
Escolho os políticos, acima de tudo, pelo que são: pelo que pensam e pelo que não pensam, pelo que prometem e pelo que não prometem, pelo que provaram e pelo que não provaram. Não me importa se são novos ou velhos, se são negros ou brancos, se são mulheres ou homens.

22 de julho de 2009

21 de julho de 2009

Pombal e o futuro

Por estes dias sinto-me quase ingrediente de uma salada de frutas. Tenho amigos a candidatarem-se à esquerda e à direita, numa lógica de participação cívica que me faz gostar mais deles. Dois desses são peças integrantes da blogosfera, com quem aliás partihei este blogue, faz agora dois anos. Juntei-os vários vezes no mesmo jornal, a escreverem sobre as mesmas coisas. Quando chegava o Bodo, jantávamos todos, fazendo Eco de um estado-de-espírito que partilhamos ainda. Guardo essa na parte boa das memórias de Pombal. E quando às vezes me auto-convenço de que um dia isto há-de mudar, lembro-me deles e dos outros como eles, que fazem dessa uma geração de esperanças.
Isto para dizer que tanto vou gostar de ver o Alvim na Junta de Pombal como o Pimpão na Assembleia da República (ou na Câmara, se tiver de ser, ok...). Porque os dois estão nisto com o melhor que têm lá dentro. E isso é coisa rara.

ADENDA: Para espanto de muitos e pranto de outro(a)s, Odete Alves vai integrar a lista do PS para as legislativas, pelo distrito de Leiria, num apetecível sexto lugar. Não a conheço como aos outros dois, mas é mulher e basta! Se por um acaso o PS ganhar as eleições, é certinho que será deputada.

19 de julho de 2009

Press para todo o serviço

Intrigada pelos comentários que, amiúde, aqui têm sido colocados recentemente, fazendo alusão "ao que se passa no OCP", julguei ter encontrado a resposta quando recebi, por mail, um convite por parte do Correio de Pombal para estar presente numa festa de inauguração de uma discoteca. Fui até verificar se não era engano meu. Não era, de facto. Qual sintoma do estado a que chegámos, isto agora faz-se assim, sem pejo nem pudor. Bem sei que os empresários-modelo que o autarca-modelo cá do sítio gosta de elogiar (agora, entenda-se) fazem vista grossa a determinados códigos de conduta. Mas há mínimos senhores.

Andar por aqui

Ontem fui apresentado como candidato à Junta de Freguesia de Pombal pelo PS. Começa, por isso, uma caminhada naquele que será o projecto mais ambicioso em que me meti até hoje, quanto mais não seja porque é uma eleição a um cargo executivo na minha terra e, claro, por ser um projecto encabeçado por mim. Não pretendo deixar de farpar nesta casa, seja com posts ou comentários. Não a usarei para campanha, obviamente, mas antes de ser político e candidato, sou cidadão com opinião, opinião essa que apenas presta contas à minha consciência. Por esse motivo, e com o acordo dos meus camaradas de casa, por aqui continuarei, deixando a parte mais oficial da candidatura e a respectiva campanha para outros locais. Por isso, para além de andar por aqui, vou também andar por aí...

Força Mulheres

Assisti hoje (ontem) à apresentação dos cabeças de lista do PS às diferentes Juntas de Freguesia do concelho de Pombal. Foi uma agradável surpresa: novos rostos (a renovação é sempre um bom sinal, não só para quem está no poder mas acima de tudo para quem tem estado na oposição), a esmagadora maioria dos candidatos tem formação superior (bons desempenhos exige boa formação) e mulheres. Sim, quatro mulheres como cabeças de lista: Telma Domingues (Guia), Cidália Couto (Ilha), Cláudia Rodrigues (Pelariga) e Luísa Pinto Maço (Santiago Litém)!
Com a obrigatoriedade de os partidos reservarem quotas mínimas nas listas para as mulheres perspectivava que a maioria delas viesse a integrá-las, simplesmente, com o intuito de cumprir a lei. Estava longe de imaginar que quatro mulheres aceitassem candidatar-se, em Pombal, à presidência de uma Junta.
É consensual que a participação activa das mulheres na política é factor decisivo para a melhoria da Democracia e da governação, não porque fazem melhor mas porque, no geral, fazem de forma diferente. Mas participar, de forma expressiva, em lugares executivos e de chefia é um salto enorme.
Força candidatas e parabéns pelo atrevimento
.

16 de julho de 2009

À consideração de quem interessar

Castelo de Leiria vai ser estudado como nunca antes foi. Porquê?

“Para ser valorizado, mesmo do ponto de vista turístico, o património tem de ser estudado, conhecido”, justificou Vítor Lourenço, sublinhando que “nunca se fez um estudo tão intensivo” sobre o interior do monumento como o que vai ser encetado a curto prazo.

Concordo. Fazer por fazer não faz sentido. Perceber bem o que se tem para fazer algo de completamente diferente, se calhar é bem mais lógico que "plantar" obra e colocar placa de inauguração.

E agora para algo completamente novo

Sim, que há mais vida para além de JVV e seus episódios bodísticos. E agora que se foi, aparente e definitivamente para a esfera privada, é deixá-lo. Que há toda uma série de novidades (ou não) na vida política deste concelho.
A saber:
1. se Narciso não lhe falhar, Pedro Pimpão estará a ser indicado a esta hora como deputado quase-elegível na lista do PSD por Leiria.
2. Nos entretantos, Pedro Martins estará conformado em descer à Junta de Freguesia de Pombal.
3. Adelino Mendes suspira de alívio porque lá arranjou candidatos para as juntas todas.
4. E há por aí um rapaz que está quase a candidatar-se à Câmara pelo Bloco de Esquerda. Na volta ainda se descuida é eleito.

15 de julho de 2009

E depois do adeus? (II)

Foi-se o mentor, o Café Concerto é deficitário (justificando-se considerar a entrega a privados mediante um contrato de concessão - transparente e com pés-e-cabeça -, tal como aqui também se defende, mais a mais, sendo a agenda cultural apenas concertos que podem ser mantidos nesses moldes), foi-se também o Bodo, por culpa de quem geriu e de quem avalizou as opções tomadas, a Expocentro não é dinamizada (vide Relatório da Auditoria) e sobra o estacionamento, incompreensivelmente desligado de toda a questão do trânsito, devendo, por exemplo, repensar-se a alocação, nem que seja parcial, de fundos à sustentação do sistema de transportes urbanos, com consequente expansão. Mas no que toca à Pombal Viva, depois da festa (Bodo 2008) chegou-se a este ponto. Trapalhada é uma boa expressão, mas haverá outras.

Sim, houve o Bodo de 2008 que, já o escrevi aqui e disse noutros sítios, apontava para uma estrutura com a sua lógica, desde que dimensionada para ser sustentável, coisa que não aconteceu. Tão simples como isso: não houve qualquer esforço para evitar que o passo fosse maior que a perna. E não se trata de coarctar a ambição. Aliás, a ambição, com o dinheiro dos outros, normalmente descamba na mania da elefantíase, que tanto critico aos nossos governos. Não vejo mal nenhum que o Bodo se afirmasse cada vez mais ou seja, que o passo fosse maior do que é habitual. Convinha, repito, é que não fosse maior que a própria perna. Por isso é que dispenso que, nessa ânsia, regras elementares de gestão e responsabilidade fossem dispensadas como o foram.

Moral da história: a herança dificilmente chega para pagar as dívidas, mas chega, e bem, para tirar excelentes lições para o futuro.

14 de julho de 2009

O Marquês do Louriçal

A família marquesa, com toda a pose e estilo.

Pasmei quando vi escrita a frase, escrita a partir da Câmara: "com a ilustre colaboração de Sua Excelência o Senhor D. Tiago Henriques (Louriçal)". Pensei que fosse trote. Pelos vistos não era. A avaliar pela foto "de família" publicada na última edição do Correio, o homem existe. O que duvido é que soubesse, até agora, onde ficava o Louriçal. Ele e os outros. É preciso ter lata.

E depois do adeus?

Para além de todo o resto (seja as legítimas e pertinentes dúvidas quanto ao timing ou quanto à legalidade da decisão), há ainda mais um pormenor delicioso: no documento que exonera o Administrador-Executivo afirma-se que "o défice das Festas do Bodo 2008, motivador de desmedida controvérsia, não possa por si só ofuscar a boa actividade e relevante iniciativa da Pombal Viva". Então afinal é para fundir com a PMU ou não? Se dúvidas houvesse, ficamos bem esclarecidos: o poder autárquico não sabe o que fazer com a Pombal Viva. E se a transparência foi palavra ausente do passado da Pombal Viva, já se viu que também não pertence ao léxico relativo ao seu futuro. Isso e a expressão "desmedida controvérsia": é bom saber que discutir défices encapotados, gestão e responsabilidazação é coisa com a qual os cidadãos não se deveriam preocupar.

13 de julho de 2009

Porquê agora?

A decisão de afastar, agora, o Viva Verde da administração da PombalViva tem causado perplexidade no burgo. Narciso Mota sempre recusou afastar o rapaz antes de acabar o mandato. Porquê, então, agora? Que factos ou motivações levaram a tão estranha decisão? E como interpretá-la? Castigo ou favor?
Não existindo uma explicação minimamente plausível e considerando que:
- O Vila Vede, pelo visto, mantém o rendimento até ao fim do mandato;
- O Vila Verde tem pelo menos duas empresas ligadas ao sector dos espectáculos;
- O Vila Verde deixa de exercer funções, logo fica com o tempo todo livre;
- Estamos na época (f)estival, período ideal para gozar férias ou para facturar.
Só pode ser um grande favor, porque não quero imaginar o pior.

10 de julho de 2009

O Buraco Negro não pára de nos surpreender

Segundo OCP e informações que por aí circulam, a Comissão das Festas do Bodo de 2009 viu-se confrontada com contratos perfeitamente leoninos realizados entre a PombalViva e os artistas do Bodo de 2009. Há artistas, nomeadamente os DJ, contratados por valores muito acima do que normalmente cobram. A comissão confrontou os artistas com a irrazoabilidade dos cachets e das mordomias e tentou renegociar os contratos mas estes não aceitaram. Vai daí, a comissão admite cancelar as actuações e assim poupar nas deslocações e estadias.
Querem melhores exemplos de gestão danosa?
Como foi possível aquilo andar tanto tempo em total desgoverno?
Como foi possível a reincidência da prática de gestão danosa, mesmo após o conhecimento público do desastre do Bodo de 2008?
Quem beneficia ou beneficiou com tudo isto?

O administrador é mau? Extinga-se o cargo!

O anúncio da extinção do cargo de Administrador-Executivo da Pombal Viva chega a ser anedótico. Ao cabo de todo o processo polémico em torno das contas do Bodo e do desempenho do rapaz (que era inatacável, até há poucos dias, no dizer do presidente), eis que Narciso Mota não perde a capacidade de nos surpreender: enquanto desanuvia numa viagem a Bruxelas, manda alguém mandar um comunicado.
Faz lembrar a rábula do director que chama a secretária e lhe pede,
- marque-me uma reunião para sexta-feira, com a administração.
- Sexta é um x ou ch, sr. director?
- Deixe...mude para segunda.

9 de julho de 2009

Adilpom

É verdade, como afirma um dos nossos comentadores, que a Adilpom é um alçapão por onde se paga a funcionários e a ex-funcionários da autarquia?
Esperam-se esclarecimentos.
A gestão rigorosa por objectivos agradece.

Nogueira Matos

Nogueira de Matos, presidente da Junta de S. Simão de Litem, decidiu não se recandidatar. Tresmalhou.
Apesar dos muitos anos no poder consegue mostrar algum desapego ao poder.
Coisa rara cá na terra. Estou convencido que se não fosse a limitação dos mandatos alguns apodreciam no poder e arriscavam-se a tombar da cadeira, no poder, como o outro.

Perguntem ao vento que passa

Perguntem. Perguntem notícias do vosso concelho. Perguntem o que está a acontecer com a imprensa. Perguntem o que aconteceu aos jornalistas. E aos escrivãos. Aos repórteres e aos recórteres. Perguntem aos que ficaram se dormem tranquilos, à noite. Perguntem aos que partiram. Aos empresários do sector. Perguntem enquanto é tempo e ainda podem. Enquanto ainda há. Enquanto o vento ainda não cala a desgraça, e ainda diz alguma coisa.
Perguntem ao poder.

8 de julho de 2009

Notícias da crise

O Eurostat confirmou hoje que a economia portuguesa contraiu 3,7% no primeiro trimestre de 2009 (quando comparado com igual período do ano passado). Na Zona Euro a contracção foi de 4,9%.
Relativamente ao trimestre anterior a situação económica agravou-se. Em Portugal o PIB contraiu 1,6% enquanto na Zona Euro a contracção foi de 2,5%.
Não estamos bem. Mas estamos melhor (ou menos mal) do que a maioria dos nossos parceiros da Zona Euro. E muitos disseram que nesta altura estariamos muito pior.
Já agora, seria interessante conhecer os dados da Região e de Pombal. Infelizmente,
só os teremos daqui por ano e meio.

7 de julho de 2009

Finanças travam aumentos de IMI pelas autarquias

Na edição de hoje, o Diário Económico informa que “A Secretaria de Estado dos Assuntos Fiscais vai chumbar qualquer proposta de aumento dos coeficientes de localização dos imóveis, que interferem na avaliação dos imóveis e, como tal, no cálculo do Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI)”.
Haja alguém que pare este saque!

6 de julho de 2009

A febre de sábado à noite

Concluí, por estes dias, que é mais importante ter boas fontes do que estar fisicamente presente nos jantares do engenheiro. (A propósito, continua em franca renovação do guarda-roupa, voltei a constatá-lo ontem. Isso, não se poupe a esforços que a idade não perdoa e assim sempre fica com um ar mais levezinho).
De modo que gostei de saber do regresso daquela rapariga da JSD (Ana Gonçalves, de todos conhecida por Piteiras) que fazia perder de amores os rapazes da minha geração. Não percebi como é que a professora Fernanda Duarte se evaporou da lista de intenções. Também já sei quem é a minha homónima. Era mais fácil se me tivessem dito logo que a Paula Silva era mulher de fulano tal. Parece-me que empurrar o Pedro Ferraz para o final não é boa estratégia. Isto se a ideia é ter gente competente nos lugares elegíveis, sei lá. Continuo a achar que a Paula Cardoso deveria ser chamada à lista. Mas se os critérios não forem esses que acabei de citar, então está explicado.
Que me perdoe o engº Rodrigues Marques (caríssimo director de campanha), mas consta que o ambiente era propício aos intentos do Nobre Povo, já que o clima de "conspiração" dominou na cave do Manjar. A malta que colou cartazes e suou as estupinhas para eleger o engenheiro em 93 não anda lá muito contente com essa classe emergente dos avençados e afilhados. Parece-me até que o clima é de "pré-golpe de estado", o que só faz subir o interesse destas eleições. Mesmo que a classe empresarial e a dita sociedade civil se tenham poupado a jantares, excepção feita a António Calvete, agora alegadamente adoptado pela família social-democrata.
Ah! Muito importante: sempre há uma mulher como cabeça de lista nas Juntas, para salvar a honra do convento. Chama-se Isabel Costa e concorre à freguesia de S. Simão de Litém, agora que o lendário Nogueira Matos acha que já chega de ser presidente.

5 de julho de 2009

Toda a verdade

Sobre o homem da Monvalca.

"Quando abriu o café da Várzea, era de um Pide. E então veio para lá trabalhar um tipo, da Moncalva, que era o bufo de serviço".

Isto e muito mais. Ou o que resultou do meu encontro imediato de segundo grau com o Nobre Povo.

PS proíbe candidaturas duplas a câmaras e ao Parlamento

Vai tarde.
Mas mais vale tarde do que nunca.

3 de julho de 2009

Sai o melhor

Segundo a Rádio Cardal, Pedro Martins não aceitou o sétimo lugar na lista do PSD às próximas eleições autárquicas. Convenhamos que era uma grande despromoção para o vereador que, sob todas as perspectivas, teve o melhor desempenho.
Fica de fora o melhor. Mas mostra dignidade, coluna vertebral e independência em relação à política. Coisa rara nos últimos tempos, nomeadamente por aqui.
PS: Espero que não se confirmem alguns "zunzuns" que por aí circulam. A confirmarem-se, teria que corrigir o último parágrafo.

E novidades?

Cardal FM, a rádio oficial do BODO

A rádio Cardal assegurou os direitos de exclusividade da transmissão sonora, nas ruas da cidade de Pombal, das festas do Bodo, a decorrer entre 23 e 27 de Julho.
A Cardal FM vai mobilizar uma vasta equipa de profissionais para lhe contar tudo sobre as festas anuais da cidade, com várias intervenções em directo, a partir do estúdio móvel, para além de muitas surpresas para os ouvintes da rádio e visitantes do Bodo, desde a realização de concursos e oferta de ingressos para os concertos, a realizar no estádio municipal.
A Cardal FM tem ainda preparada a cobertura integral da Meia Maratona de Pombal e a corrida do Bodo, a ter lugar no dia 26.

2 de julho de 2009

Ao que isto chegou...


Se houvesse bom senso nunca, mas nunca, este ser tinha aguentado até aqui. Bom senso. Só isso.

E o Bodo senhores?

Bem sei que por estes dias há muito em que pensar. Que a organização do evento de sábado dá trabalho, que é preciso tratar de tudo ao pormenor e que todo o pormenor recai sobre Diogo Mateus (ao menos isso...do mal o menos), mas está marcada outra festa, lembram-me? Bodo? Festas de Pombal? Hello? É que estamos em Julho e passámos do 80 ao 8 em matéria de divulgação.

Nota esclarecedora: Não, não é preciso os senhores assessores, adjuntos, delfins e outros seguidores do engenheiro irem numa pressa interpretaduzir este escrito. Não se trata de ser "preso por ter cão e preso por não ter". Trata-se mesmo de estar na hora de aparecer alguma coisa na rua. Peçam lá ao J. para apressar os cartazes, vá.